Nova Parceria : Loja Bela Boutique

1 de agosto de 2015



Olá meninas! É com imenso prazer que venho anunciar mais uma parceria aqui no blog.
Isso mesmo! Nos tornamos parceiras da Loja Bela Boutique. Uma loja que tem vários artigos de decoração para cozinha, banheiro entre outros.

Sobre
Bela Boutique veio para felicidade! Algumas pessoas vendem produtos, outras objetos. A loja veio pra espalhar coias boas por aí... Emoções, sorrisos e surpresas pra fazer o presente ainda mais feliz! Somos uma loja online para ajudar a você fazer as escolhas que vão atender seus desejos da beleza! Por trás deste universo magico existe uma equipe apaixonada pelo que faz e que rala muito pra manter tudo funcionando.


Separei algumas coisinhas que estou querendo:





E o mais legal dessa parceria minhas lindas, que vocês ganham 10% de desconto. Isso mesmo, é só clicar no banner ao lado e usar o código BlogSA.
Então, tá esperando o que pra dar uma passadinha na loja e conhecer os produtos?

Gostaram da novidade? Então não deixe de me contar.
Muitos beijos lindonas.

Primeiro mês do meu bebê.

30 de julho de 2015

Dificuldades, Cólicas do Bebê, Choro, Rotina.


É totalmente incrível como a chegada de um bebê pode mudar tanto as nossas vidas! Passamos 9 meses nos preparando e teoricamente estamos prontas para as mudanças que estão por vir, sabemos que passaremos noites em claro, que sentiremos dor para amamentar nos primeiros dias, que nem sempre a carinha que sonhamos é a que vai nascer mas que mesmo assim para nós, será muito mais do que sonhávamos. Todos os livros que passamos horas lendo, aprendendo a ser mãe, sim nos dá uma ideia e nos ensina como agir, mas no momento em que ouvimos o choro desesperador do nosso bebezinho tão frágil gritando de dor por cólica, gases ou medo do mundo desconhecido, após fazermos tudo que já nos foi ensinado e ainda sim o bebê continuar chorando, nos dá a impressão de que somos péssimas mães, que não aprendemos nada direito, que não vamos conseguir. Mas calma! Esses são só os primeiros momentinhos, você vai perceber que você pode, você consegue, afinal agora, você é mãe.

Foi assim comigo quando tive a minha filha e apesar de já ter passado por tudo isso, me vi completamente desesperada com o meu filho.
Sem contar que esses são os primeiros momentos do bebê onde ele está assimilando as vozes que ele ouvia no útero, aos rostos, está descobrindo e conhecendo o novo ambiente em que vai viver.
Nosso primeiros dias juntos foi cercado de muito amor mas também de muito choro, tanto dele quanto meu. As cólicas dele eram tão fortes que por mais que eu fizesse tudo que aprendi, dar o remédio entre outras coisas, nada o fazia parar de chorar.

Leia também: COMO COMBATER AS CÓLICAS DO BEBÊ.

A minha única saída era amamentá-lo encostando sua barriguinha na minha, ficava com ele nos braços por horas, tentando faze-lo mamar e isso me deixava exausta, pois era só desse jeito que ele parava de chorar. Sem contar que meus primeiros dias, pra ser mais exata, minhas primeiras semanas foram terríveis, chorava de dor para amamentar, não saia quase leite, parecia que minha prótese de silicone ( vou fazer um post sobre a minha cirurgia plástica) ia sair junto, em cada puxada que meu filho dava. Muitas vezes ele chorava porque estava com cólica, mais muitas vezes mesmo na posição que ele mais gostava de ficar, era por fome, e aí é que as crises de choro aumentavam. Tive que recorrer ao pediatra que me indicou o leite Aptamil, porém apesar de ser um ótimo leite super indicado e de boa qualidade, deu prisão de ventre em meu filho, (cada criança é unica e isso não significa que outros bebês terão a mesma reação) a fome passava, mas as cólicas e gases eram ainda mais fortes, seu choro era mais assustador que antes.

Leia também: 6 MANEIRAS DE FAZER O BEBÊ PARAR DE CHORAR.

Então fui a uma consulta com a nutricionista, que me orientou oque eu devia comer e trocou o leite para Nestogeno que deu super certo, as prisões de ventre do meu filho acabaram, porém me veio a preocupação: se ele continuar com as mamadeiras, logo logo vai trocar o peito, pois quanto mais o bebê mama peito mais leite sai e eu não queria parar de amamentar mesmo com as dificuldades, sabia que era o melhor para o meu filho.

Leia também: PORQUE AMAMENTAR É TÃO IMPORTANTE?

As orientações dadas na lata da fórmula infantil que estava dando ao meu filho eram as seguintes:
na 1º e 2º semanas oferecer 90 ml 6 vezes no dia. Então eu teria que dar a cada 3 horas, porém eu só dava uma mamadeira pela manhã e outra a noite, consultei o pediatra mais uma vez e ele me disse que estava certa, como eu queria amamentar, tinha que oferecer. Isso deu super certo, após a mamadeira da manhã,  no resto do dia oferecia o peito e daí comecei a ter leite.

Mas ainda assim minhas dificuldades não acabaram, começava então os ciúmes da minha filha, apesar de ter 10 anos, comecei a notar seu comportamento, ela ficava triste no canto e as vezes ia no quarto onde eu estava e falava, larga esse menino chorão pra lá.
Então tive uma conversa com ela onde expliquei que eu a amava da mesma forma e também continuaria cuidando dela porém por causa da diferença de idade dos dois, os cuidados seriam diferentes, não o tratamento e nem o amor e dei exemplos. Perguntei a ela se ela já sabia tomar banho sozinha e ela me respondeu que sim, então disse a ela, mesmo assim a mamãe fala a hora que você deve tomar banho, e deixa sempre pra você toalhas e roupas limpinhas e cheirosas e finalizei, isso é cuidar. Fiz outra pergunta: seu irmãozinho sabe tomar banho sozinho? Lógico que não! Foi a resposta que ela me deu. Então retruquei: por isso a mamãe precisa passar um pouco mais de tempo com ele, tenho que dar banho, amamentá-lo, trocar fraldas e outras coisas, coisas essas que você não precisa que eu faço pra você afinal, você cresceu e tudo que estou fazendo por ele hoje, já fiz pra você. E mesmo com tantas coisas a fazer, não deixo de cuidar de você, sempre faço e coloco a sua comida, penteio seus cabelo. Então disse a ela, se ver que eu estou muito tempo com seu irmão, sente do meu lado, me ajude a trocar a fralda dele, fique comigo eu também preciso me sentir amada.
Foi uma conversa linda e emocionante, e o melhor é que deu certo.

Durante o primeiro mês minha rotina mudou muito, ter noites inteiras de sono é um privilégio porém me sinto realizada.

Bom meninas, essa foi a minha experiência do primeiro mês, queria contar pra vocês há mais tempo, porém estou sem tempo hehehe. As coisas aqui ainda andam muito corridas, mas estou me desdobrando para colocar tudo em dia. Para terem uma noção, passei o post inteiro digitando com uma mão e com a outra segurando meu bebê que está mamando em quanto isso, pedi a minha filha para lavar os cabelos para fazer hidratação, então deixa eu correr aqui, mas pode deixar que volto em breve contando tudo pra vocês.

Ah! Não esquece de deixar seus comentários, conte a sua experiência para mim. Vou adorar.

Muitos beijos.


Por que amamentar é tão importante?

27 de julho de 2015


A amamentação é muito importante, tanto para a mãe quanto para o bebê, porque através do leite materno o bebê se previne e fica livre de muitas doenças como alergia, asma, bronquite, rinite, diarreia, pneumonia, colesterol alto, diabetes, dentre outras. Sem contar que ela ajuda no posicionamento do maxilar, ajudando assim a maturação e crescimento dos ossos e músculos da face.
E a mãe se recupera mais rápido da gestação, dado que a amamentação contrai o útero, fazendo com que ele volte ao normal mais rápido, com isso evitando sangramentos excessivos anulando o risco de anemia e ajuda a mãe emagrecer fazendo com que ela perca de 500 a 700 calorias por dia, ideal para perdermos aqueles quilinhos a mais que ganhamos na gestação, além de reduzir o risco de câncer de mama e ovário.

E na minha opinião, é um momento único, onde a mamãe tem nos braços aquele bebezinho, tão dependente olhando em seus olhos, é um momento mágico.

O indicado que até os 6 meses de vida o bebê seja alimentado somente com o leite materno, a partir do 6º mês começar a introduzir outros alimentos, como frutas, sopa de legumes entre outros alimentos saudáveis, mas não significa que a amamentação tenha que ser interrompida. O ideal é que ela dure até os dois anos ou mais, ou até quando a mãe tiver leite disponível.

Muitas mães não sabem mas é necessário preparar o corpo para a amamentação, existem exercícios de preparação específicos para os seios e os mamilos, geralmente eles são orientados pelo obstetra que acompanha a gestante, quando a mesma realiza o pré-natal. O ideal é que a mãe pratique esses exercícios para ir se acostumando com as mudanças nos seios.

Leia também: A importância do pré-natal

Eu tenho próteses de silicone, posso amamentar?

Claro que sim! A prótese de silicone não influência a amamentação. O implante de silicone é posicionado a baixo da glândula mamária, não entrando em contato com o leite.

Nota: o implante de silicone não atrapalha na amamentação, porém a redução de mama pode influenciar na amamentação,( não no leite) devido as intervenções que a mama é submetida.

Será que vou ter leite suficiente para amamentar?

A lógica é simples, quanto mais você amamentar, mais leite vai produzir.
Somente 2% das mulheres apresentam dificuldades físicas para produzir quantidade ideal de leite, é necessário ressaltar que todas mulheres possuem a capacidade de produzir leite.

Então, agora que você já sabe os benefícios que a amamentação oferece para você e o bebê, nada de sair por aí querendo dar apenas fórmulas infantis, leites industrializado para o seu bebezinho (exceto com ordem médica).


6 Maneiras de Fazer o Bebê Parar de Chorar

6 Maneiras de fazer o bebê parar de chorar:


Para fazer o bebê parar de chorar os pais devem tentar compreender o motivo do choro do bebê para que possam dar uma resposta adequada as suas necessidades.
Geralmente, o choro é a principal forma do bebê alertar os pais de algum desconforto, como fralda suja, frio, fome, dor ou cólica, no entanto, na maior parte dos casos o bebê chora porque está irritado ou com medo.
Assim, deve-se começar por dar de comer ao bebê ou trocar a fralda, por exemplo, e caso estas técnicas não resultem, pode-se usar umas das 6 maneiras de fazer o bebê parar de chorar:

1. Enrolar o bebê numa manta:


Enrolar o bebê numa manta, como mostra a figura, faz com que ele se sinta mais aconchegado e protegido como se ainda estivesse no útero da mãe.

2. Fazer uma massagem no bebê

Fazer uma massagem com óleo de amêndoas no peito, barriga, braços e pernas é uma ótima forma de acalmar o bebê, pois o contacto entre as mãos dos pais e a pele do bebê faz com que os músculos relaxem, levando à sensação de bem-estar.

3. Embalar o bebê

Uma boa maneira de acalmar o bebê consiste em embalá-lo suavemente, utilizando uma das seguintes formas:
  • Caminhar ou dançar suavemente com o bebê ao colo;
  • Passear de carro;
  • Colocar o bebê no carrinho e ficar embalando o bebê durante alguns minutos;
  • Colocar o bebê no sling e caminhar suavemente.
Este tipo de movimento de vai-e-vem é idêntico ao que a mulher fazia na gravidez para sentar e levantar, por exemplo, ajudando o bebê a acalmar.

4. Sugar o dedo ou a chupeta

O movimento de sugar o dedo ou a chupeta, além de distrair o bebê, leva à sensação de bem-estar, podendo ser uma boa maneira de o bebê parar de chorar e acabar por adormecer.

5. Fazer o ruído "shhh"

O som "shh shh" próximo do ouvido do bebé, mais alto do que o choro, pode ser uma forma de o acalmar, porque este som é semelhante aos sons que o bebê ouvia quando estava na barriga da mãe.
O aspirador de pó, o ventilador ou exaustor, o som de água corrente ou um CD com som de ondas do mar podem ser alternativas eficazes, pois emitem sons semelhantes.

6. Deitar o bebê de lado


Para ajudar o bebê a parar de chorar pode-se deitá-lo de lado no colo dos pais segurando a cabeça do bebê ou deitado na cama, nunca o deixando sozinho. Esta posição, chamada posição fetal, é semelhante à posição que o bebê tinha no útero da mãe e, geralmente, ajuda a acalmar.
Se depois de usar estas técnicas o bebê continuar a chorar, pode-se experimentar juntar mais do que uma maneira, como embrulhar o bebê na manta, deitá-lo de lado e balançá-lo para ajudar a acalmá-lo mais rapidamente. 
Por vezes os bebês muito novinhos choram no final da tarde, sem uma causa aparente e por isso nestes casos, estas técnicas podem não funcionar todas as vezes. 
É importante não deixar o bebê chorando muito tempo porque o choro prolongado pode causar danos cerebrais em bebês porque quando o bebê chora exaustivamente seu corpo produz grandes quantidades de cortisol, uma substância ligada ao estresse que ao longo do tempo pode causar alguns danos cerebrais no bebê.

Como Combater as Cólicas do Bebê

Como combater as cólicas do bebê


Para combater as cólicas do bebê que surgem a partir da segunda semana de vida e por causa do intestino do bebê ainda ser imaturo, pode-se seguir algumas dicas, como:
  • Massagear a barriguinha do bebê com movimentos circulares, como mostra a imagem 1;
  • Aquecer o abdômen com uma bolsa de água quente;
  • Com o bebê deitado de barriga para cima, empurrar suas perninhas em direção ao abdômen, de forma a comprimir a barriga do bebê, como mostra a imagem 2;
  • Fazer movimentos de bicicleta com as perninhas do bebê;
  • Colocar o bebê para arrotar, sempre depois das mamadas.


Quando o bebê sente cólica é normal ele chorar muito. Quando ele chorar, dê colo e tente acalmar o bebê, e quando ele parar de chorar, siga as dicas acima citadas. Estes movimentos ajudam a libertar os gases intestinais e aliviam as cólicas do bebê de forma natural e eficaz.
Remédios como o Luftal ou Funchobaby só devem ser dados ao bebê sob orientação do pediatra.

Remédio caseiro para combater as cólicas do bebê

Um ótimo remédio caseiro para cuidar das cólicas do bebê que já não mama no peito é dar para o bebê sempre antes e após ele mamar na mamadeira, pequenas doses de chá de camomila e erva-doce, pois estas plantas medicinais possuem efeito antiespasmódico que alivia as cólicas e diminui a produção de gases.
No caso de bebês que mamam exclusivamente no peito, a melhor solução pode ser a mãe beber estes chás, pois eles passam através do leite, podendo aliviar as cólicas no bebê.
Para o chá: Colocar 1 colher (chá) de camomila e outra de erva-doce em uma xícara com água fervente, deixar descansar e dar para o bebê quando esfriar.

Alimentos que a mãe deve evitar por causa das cólicas no bebê

Os alimentos que a mãe que amamenta (lactante) deve evitar comer em excesso porque podem causar cólicas no bebê são:
  • Brócolis, couves, couve-flor, couve-de-bruxelas e alguns outros tipos de hortícolas da família das crucíferas;
  • Pimentos, pepino e nabo;
  • Feijão, grão, favas, lentilhas e ervilhas.
A lactante deve estar atenta aos sinais que o bebê pode apresentar após a mamada, como gases, choro, irritação ou dificuldades em dormir se ingeriu estes alimentos. Se estes sinais forem evidentes, a lactante deve, inicialmente, variar a qualidade, reduzir a quantidade e fracionar entre as refeições o consumo dos alimentos destes grupos.
Quando as medidas anteriores não têm resultados positivos, pode ser necessário deixar de consumir estes alimentos pelo menos nos primeiros meses de amamentação, para depois voltar a introduzi-los mais tarde em pequenas quantidades, testando a reação do bebê.